Archive for the ‘GfbV-Sociedade para os Povos Ameaçados Internacional acusados de desvio de doações na Alemanha e na Suíça’ Category

Resumo da notícia: GfbV (SPA) – Dois ramos da ONG de direitos humanos Sociedade para os Povos Ameaçados Internacional acusados de desvio de doações, na Alemanha e na Suíça

Tuesday, April 9th, 2013

Resumo da notícia: GfbV (SPA) – Dois ramos da ONG de direitos humanos Sociedade para os Povos Ameaçados Internacional acusados de desvio de doações, na Alemanha e na Suíça

(Veja as referências [a, b, etc] em baixo)

Sociedade para os Povos Ameaçados Internacional ( GfbV) Presidente Tilman Zulch (Alemanha) (esquerda) e Vice-Presidente Christoph Wiedmer ( Suíça) (direita). Ambas as organizações foram acusados e são investigados por estado na Alemanha e na Suíça por fraude e peculato

Sociedade para os Povos Ameaçados Internacional ( GfbV) Presidente Tilman Zulch (Alemanha) (esquerda) e Vice-Presidente Christoph Wiedmer ( Suíça) (direita). Ambas as organizações foram acusados e são investigados pelo MPF na Alemanha e na Suíça por fraude e peculato

A Sociedade para os Povos Ameaçados Internacional (SPAI) tem filiais na Alemanha [a], Itália [b], Áustria [c], Bósnia-Herzegovina [d] e Suíça [e]. A organização também afirma ter filiais no Chile, EUA e Iraque.

O Secretário-Geral da SPAI e da sede da organização, a Sociedade para os Povos Ameaçados-Alemanha (GfbV-Deutschland) é Tilman Zulch [1] [2]. O Vice-Presidente da STP-Internacional ((GfbV-International) é Christoph Wiedmer [3], que também é o diretor da Sociedade para os Povos Ameaçados-Suíça (GfbV-Schweiz] [4].

Ambos os ramos da organização não-governamental e internacional, “não-lucrativos e de direitos humanos” estão atualmente sob investigação criminal por fraude e desvio de dinheiro de doações, por procuradores do Estado em ambos os países, Alemanha [5] e Suíça [6].

Em 2012, o procurador do estado em Alemanha anunciou investigações acerca de acusações de peculato movidas pelo Conselho de Administração da Sociedade para os Povos Ameaçados [7], contra Tilman Zulch, o secretário-geral da organização guarda-chuva tanto internacional e da filial alemã. Em 2010, o Conselho de Administração descoberto irregularidades substanciais de contabilidade e contratuais [7] e acusou-o de desvio de recursos de doações e fundos [8], de ter continuado a receber os pagamentos de salário de 70.000,00 euros por ano, apesar de ele ter concordado em renunciar a sua posição como Secretário-Geral (uma posição, aliás, que sequer existe nos estatutos da organização), e por ter ordenado pagamentos ao filial em Bósnia-Herzegovina [d] baseado em documentação insuficiente [9]. Eles também questionaram pagamentos encaminhados para terceiros.

Já há uma década, cerca de um milhão de Marcas Alemães (aproximadamente dois milhões de reais) estavam faltando dos ativos na prestação de contas anual da organização e a Sociedade para os Povos Ameaçados estava à beira da falência. A organização teve de pedir dinheiro emprestado a particulares e de outras fontes para preencher os buracos. É interessante notar que o diretor financeiro da entidde desse período é o mesmo que assina o relatório de auditoria agora.

Uma porta-voz da sede da organização, em Göttingen, na Alemanha, rejeitou as acusações [10].

Após a expulsão oficial da organização de ex-membros do conselho em novembro de 2012 [ref 11] [12] [13], o novo conselho de administração rapidamente retirou as acusações que haviam sido apresentados pelo conselho anterior. Dias depois, o filial alemã e a sede da Sociedade para os Povos Ameaçados Internacional (STPI) afirmaram nos seus sítios falsamente, que o Ministério Público teria rejeitado as acusações e encerrado o caso. (Até a data de publicação o comunicado relevante publicado nos seus sítios não pode ser encontrado).

Em 2013, o ex-presidente do Conselho, Harald Klein, e o ex-vice-presidente, James Albert, apresentaram acusações adicionais para assegurar que a investigação do desfalque de doações por parte da organização continue.

Hoje em dia, Tilman Zulch atua como Presidente de Honra da SPA-Internacional e como secretário-geral da SPAI-Alemanha [1] [2]. Além disso, ele é Senior Associate e assessor do conselho de administração do Comitê para uma ONU Democrática [14].

Desde 11 de fevereiro de 2013, o filial suiço da SPAI também está sob investigação por desvio substancial de doações e de ativos da organização [15]. Os procuradores do Estado na cidade de Berna abriram um processo criminal para investigar as alegações de desvio de doações [16] [17].

Atualmente, Christoph Wiedmer é o vice-presidente da SPA-Internacional, e o director-geral da Sociedade para os Povos Ameaçados-Suíça [3] [4].

A organização internacional tem status consultivo junto ao Conselho Econômico e Social das Nações Unidas e status participativo junto ao Conselho da Europa. SPAI também é uma organização membro do Comité para uma ONU Demócrata.

Referências (em alemão):

a. GfbV página inicial Alemanha
b. Associazione per i Popoli minacciati GfbV Itália página inicial
c. GfbV página inicial Áustria
d. (GfbV)STP Suíça página inicial
1.  (GfbV) Sociedade para os Povos Ameaçados Internacional: Tilman Zulch – Presidente Honorário da Sociedade Internacional para os Povos Ameaçados site
2. GfbV Alemanha: STP Alemanha: Tilman Zulch – Secretário-Sociedade para os Povos Ameaçados, site Alemanha
3. (GfbV) Sociedade para os Povos Ameaçados Internacional: Christoph Wiedmer Vice-Presidente
4.  GfbV Suíça: Christoph Wiedmer-diretor – Sociedade para os Povos Ameaçados site Suíça
5. (GfbV)“Disputa na Sociedade para os Povos Ameaçados Alemão”(26 de Novembro 2012) Ruedi Suter, Relatórios Online
6. “Fraudador arruinou a Sociedade para os Povos Ameaçados” (11 de Fevereiro de 2013) Ruedi Suter, Relatórios Online
7. “Investigações contra Zulch” (29 Fevereiro 2012) Matthias Heinzel, Göttinger Tageblatt
8. “EM DISPUTA: organização de direitos humanos com suspeitas saídas de fundos” (2 de novembro de 2012) Reimar PAULO, Göttingen taz
9. “Investigação contra Zulch Tilman STP-fundador por desvio de fundos” (Novembro de 2011) Hessian Niedersächsische Allgemeine
10. “Organização de Direitos Humanos em Göttingen tem guerra interna – na Sociedade para os Povos Ameaçados(GfbV)” (13 de Março 2012) Charlotte Morgenthal Catedral Rádio
11. “Sociedade para os Povos Ameaçados dispara ex-board membros” (2012/11/04) DAPD
12. “SOCIEDADE PARA POVOS AMEAÇADO bloco de crítica”A disputa de meses de duração da Sociedade para os Povos Ameaçados foi formalmente terminado – com a exclusão de ex-membros do conselho “(04 de novembro 20112) Reimar Paulo, O diário
13. (GfbV)STP inclui ex-membros” (05 de novembro de 2012) Christian Rother, Rádio Cidade Göttingen.
14. Tilman Zulch, presidente da Sociedade para os Povos Ameaçados KDUN Senior Associates
15. “Sociedade para os Povos Ameaçados, Desfalque com uma ONG” (11 de Fevereiro de 2013) Neue Zürcher Zeitung
16. Suedostschweiz “Gelder veruntreut bei GfbV”>”Fundos desviados em Sociedade para os Povos Ameaçados (GfbV)  ” (11 de Fevereiro de 2013) “jornal SuedostSchweizer
17. “PROCESSOS PENAIS: Peculato traz Sociedade para os Povos Ameaçadas (GfbV)à ruína” (11 de Fevereiro de 2013) do jornal Basellandschaftliche